x
x

Migalha também é pão Aprenda a como não se contentar com pouco

 

Foto: Pinterest 

 

Você quer algo sério com ele. Compromisso, né? Sem mais essa ideia furada de ficar pulando e galho em galho, de colo em colo, aqui e acolá. Você quer uma data pra lembrar todo ano, um status novo no facebook, uma aliancinha no dedo também, quem sabe, por que não?

E ele te enroooooola menina, mas te enroooooooooooooola, com aquele jeitinho brasileiro que todo mundo já conhece. Te dá perdido (x) não atende o cel (x) aparece quando quer (x) e quando finalmente resolve abrir o jogo, diz que acabou de terminar um relacionamento e ainda não está pronto pra outro.

E aí todas as pessoas que já sabem do seu sofrimento – sua mãe, sua psicóloga, sua melhor amiga, sua youtuber favorita e até o garçom daquela padoca que você toma café sofrendo antes do expediente – te lançam a seguinte frase:

 

Querida, não se contente com migalhas.”

 

Essa frase é realmente um clássico. Nunca sai de moda e sempre faz você cair na real. Chorar encostada na porta do quarto escorregando até o chão pra mostrar que tá sofrendo mesmo. Faz você cortar ele da sua vida. Deletar do face. #acabou #jáera #chegadesertrouxa

E aqui a gente chega em dois caminhos possíveis:

 

  1. Você desencana dele, continua vivendo sua vida e possivelmente encontra outro(s) cara(s) que também busca(m) um relacionamento mais ponta firme como você.
  2. Você não desencana dele, continua sentindo falta daquele corpo nu e segue sofrendo, sofrendo, sofrendo, bebendo, ouvindo sertanejo e sofrendo.

 

Nenhum desses dois casos é o certo ou o errado. São só duas opções possíveis. O ideal é que a gente nunca cultive dependência emocional por nenhuma outra pessoa nessa vida – e não beba tanto álcool - mas não vou te julgar: às vezes é tão difícil esquecer esse rapazinho, né?

Se essa for a sua situação, pode ser melhor dar um passo pra trás, no lugar de ficar mergulhada numa sofrência eterna sem conseguir resolver nada. Você já pensou em voltar a ficar com ele, e também continuar aberta a conhecer outros caras? Já se imaginou saindo com ele às sextas, e com aquele outro boy gato aos sábados? Amiga, só vejo lucros aqui.

Porque você precisa tanto que ele assuma um compromisso? Isso garante alguma coisa na sua vida? Você precisa que ele te traga essa segurança ou você pode construí-la sozinha? Será que não dá pra ter momentos especiais com ele, sem ele, e curtir a vida de outras formas? Isso tudo é amor por ele mesmo, ou será que é só vaidade/possessão/drama?

Bem, como sempre eu não sou uma grande conselheira amorosa. Mas gosto de lançar perguntas pra fazer você pensar. Como já citei, a vida não foi feita pra gente ser refém de um amor, a vida é maravilhosa e às vezes a gente tem que colocar menos drama e mais praticidade nos relacionamentos. Experimente ficar um pouco na “manha”, sem neuras, se divertindo, se permitindo, vivendo um dia de cada vez. Chega de sofrimento e aproveita: Migalha também é pão!


JULIANA BATAH

Oi, eu sou a Ju Batah! Tenho 25 anos e sou designer, ilustradora, webwriter e criadora do blog Vamos pra Vênus. Adoro falar sobre cotidiano e relacionamentos, e concluí que ninguém vive sem amor: principalmente o amor próprio!

 

Artigos Relacionados:

Uma experiência única que você nunca irá esquecer

Cumprindo metas e (não) comemorando vitórias.

Os melhores momentos do nosso ator favorito

OPS!

Estamos com algum problema de conexão!

Por favor, atualize a página ou tente novamente mais tarde.