x
x

Será que você é o suficiente para mim? Uma reflexão sobre o que queremos de um relacionamento e por que queremos, por Ju Batah

 

 

Todo mundo sabe que para que um amor "dê certo", é preciso fazer algumas concessões. Dificilmente vamos encontrar alguém que pense exatamente como a gente, que faça as coisas como queremos que sejam feitas, que goste de Bloody Marry como a gente gosta -se você achar alguém que ao escutar o termo Bloody Marry não tenha ânsias de vômito, sério, se case com essa pessoa.

 

Também não vamos encontrar alguém que tenha pontos diferentes dos nossos e que esteja disposta a mudar completamente pelo relacionamento. A gente também nem quer alguém assim, quer?

 

Nesse caso, tudo bem se ele gostar de sertanejo e você de samba. Se ele defende os animais, e você come carne. Se ele curte sair de sexta a noite para assistir filmes no cemitério com os amigos e você acha isso um pouco estranho para um cara de 35 anos, mas aceita porque também curte sair com suas amigas para experimentar vestidos de noiva sem a menor expectativa de ao menos ser CONVIDADA para um casamento. Cada um com suas manias não é mesmo, beniiiinaasss????!!!

 

Mas o que pode trazer um pouco mais de desconforto para um relacionamento - além de ter que ver os amigos dele usando o seu lápis de olho - é perceber que vocês querem e esperam coisas diferentes daquela relação. E aí, fica difícil fazer concessões. 

 

Se você quer começar um relacionamento sério e ele não, ou se ele quer e você não, sempre vai ficar aquela sensação de "tá faltando alguma coisa..." para os dois, levando o relacionamento - se é que ele pode ser chamado assim - a inevitável pergunta: será que somos o suficiente um para o outro?

 

E o mais bizarro dessa situação, não é o fato de a comunicação entre vocês não ser clara o bastante ou o fato de os amigos dele preferirem os cajais, que espalham melhor e não machucam os olhos. O mais bizarro é que SEMPRE SEMPRE SEMPRE o que passa pela nossa cabeça antes da fatídica pergunta: "Será que ELE é o suficiente para mim?!", é a ingrata pergunta "Será que EU sou o suficiente pra ele?".

 

E é aí minha amiga, que nós temos uma bela receita para um desastre longo e doloroso, sem o timelapse dos vídeos de receita do Tasty e Tastemade que aceleram o processo. Fico hipnotizada com aquilo, sério, as receitinhas são mara. Mas voltando ao caso com o boy - não, não está nada mara. Quando a sua maior dúvida é se você está sendo uma pessoa razoável para o boy antes de parar e pensar se ele está sendo uma pessoa razoável para você, nada pode estar mara.

 

Confesso que não sei onde quero chegar com esse texto, apenas deixo aqui essa reflexão para você querida leitora, e o meu pedido para que nossos amigos góticos façam um vídeo no youtube sobre marcas de lápis de olho que não borram, porque com essa quantidade de questionamentos dentro da nossa cabeça seria uma boa não reprimir sentimentos e poder chorar a hora que quiser sem que a galera da empresa perceba que talvez não seja um dia lá muito bom.  

 

Foto: Pinterest


JULIANA BATAH

Oi, eu sou a Ju Batah! Tenho 25 anos e sou designer, ilustradora, webwriter e criadora do blog Vamos pra Vênus. Adoro falar sobre cotidiano e relacionamentos, e concluí que ninguém vive sem amor: principalmente o amor próprio!

 

Artigos Relacionados:

Uma experiência única que você nunca irá esquecer

Cumprindo metas e (não) comemorando vitórias.

Os melhores momentos do nosso ator favorito

OPS!

Estamos com algum problema de conexão!

Por favor, atualize a página ou tente novamente mais tarde.