x
x

Estamos a um pedido de uma vida melhor Uma arte que precisamos aprender

- Foto: Tanja Moss -

If you never try, you’ll never know.

Ainda não li o livro da Amanda Palmer que tantas amigas minhas me imploraram desesperadamente para ler. Acho que o momento ainda não chegou, embora a gente se paquere marotamente na prateleira onde ele está alojado, no meu quarto. Entretanto, acho que entendo o que o seu título quer dizer: pedir é, realmente, uma arte. E uma arte com a qual a gente precisa aprender, com urgência.

Digo isso porque, recentemente, depois de muitas noites mal-dormidas e dias de angústia, eu tive que pedir uma coisa. Uma trégua. Um cessar-fogo. E o processo de me convencer a pedir me fez sofrer. Me fez me sentir mal. Rebaixada. Menor. Incompetente. Mas, mesmo assim, contra todos os meus argumentos racionais, resolvi pedir. E depois que eu pedi tudo fez mais sentido e eu fiquei me perguntando: por que demorei tanto? Por que eu tive que chegar a um ponto em que eu não me sentia mais eu para pedir algo que era tão óbvio desde o primeiro momento? E me bateu que a gente não quer se colocar, nunca, nessa posição de pedir. Pedir pressupõe nos colocar numa posição abaixo, uma posição na qual não temos algo necessário para nós e precisamos da ajuda de outra pessoa para conseguir essa coisa. Preferimos conseguir com os nossos próprios esforços (não sei até que ponto esse pensamento é uma farsa, pois até conseguir as coisas com seus próprios esforços quase sempre requer que alguém visualize e reconheça esses esforços) ou que alguém nos dê sem que tenhamos que pedir (uma ideia quase sempre idiota, me perdoe a sinceridade). Há ainda (ateus, me ignorem nesse momento) a ideia de que não devemos ‘reclamar da nossa cruz’ pra Deus e sim pedir forças para carregá-la. Meus amores, eu acredito que Deus é uma fonte inesgotável de amor e não faz nenhum sentido que Essa Fonte queira o nosso sofrimento. Faz muito mais sentido que Ela deseje que sejamos felizes.

Assim sendo, acompanhem meu raciocínio: ninguém é adivinho, com a exceção de talvez algumas pessoas muito espiritualizadas – que, no caso, não sou eu, nem você, pessoas erradas que não querem sequer pedir coisas. Se ninguém é adivinho, vai ficar meio difícil (para dizer o mínimo) de nós conseguirmos as coisas sem abrir nossa formosa boquinha e pedir. Não vai acontecer. E a gente vai passar nossa vida querendo algo, frustrados, simplesmente porque não queríamos pedir. Não queríamos depender.

Eu entendo demais esse sentimento (como eu disse a vocês, não faz muito tempo, me neguei a pedir algo que era bem importante pra mim) porque eu mesma sou extremamente orgulhosa. Se colocar numa posição de vulnerabilidade não é fácil pra ninguém. Você pode receber um não.  A pessoa pode começar a pensar diferente de você, interpretando mal a sua atitude. Várias coisas erradas podem acontecer, mas gente: na realidade, nada disso importa. É só um pedido. A pessoa pode dizer sim ou não. That’s all. Se algo é importante pra você, peça. Peça, porque o olhar torto de alguém não vai ser suficiente para te fazer desistir do que você precisa. Peça, de coração aberto, e alguém vai ajudar. É simplesmente assim que funciona.

Escavacando a minha memória, não consigo lembrar de um momento realmente importante em que eu tenha pedido algo com vontade e não o tenha conseguido. Se a gente mostra o quanto a gente precisa e o quanto aquilo é importante para nós, a tendência é que as pessoas te deem. As pessoas são melhores do que a gente pensa, acreditem. Elas gostam de ajudar. Claro que o medo de estar vulnerável perante outro ser humano é grande. Mas não há outra maneira de conseguir o que se quer que não pedindo. E tem que se pedir com vontade. Não basta pedir, de qualquer jeito. É preciso colocar todo o seu coração no pedido. É preciso estar presente. É preciso ignorar as vozes dentro da nossa cabeça e seguir em frente, rumo ao que desejamos. Aos nossos sonhos. À vida que queremos ter.

Então, aproveitando o ensejo, eu queria pedir uma coisa a você: peça o que precisa. Peça um aumento, peça para sair com aquela pessoa especial, peça aquela oportunidade que vai fazer a diferença na sua vida. Peça o que é importante pra você – de coração e sem, também, esperar apenas pelos outros – e você receberá. É meio que uma lei universal, como aquela que diz que tudo dá certo no final ou a que jamais se deve misturar manga com leite (extremamente letal a combinação, dizem). É só acreditar e seguir caminhando.


AMANDA ARRUDA

25 anos e taurina da gema. Mais perdida que cego em tiroteio, mas segue vivendo como se soubesse de tudo e não fosse cair no próximo buraco a qualquer momento. Gosta de perseguir as grandes (e pequenas) verdades da vida e depois contar tudo no seu blog.

 

Artigos Relacionados:

Você se sente 100% segura com ele? Ou parece que você tá numa corda bamba?

Ou: autoestima é ser quem se quer ser.

Qual é a sua preferida?

OPS!

Estamos com algum problema de conexão!

Por favor, atualize a página ou tente novamente mais tarde.